Projeto Escrevivendo

 

O encontro do Escrevivendo de 28/05 manteve a mesma dinâmica de alto nível dos dois anteriores, inclusive sendo responsável pela alteração do itinerário da oficina. A ideia primitiva era de reunir as impressões pessoais acerca do conto “A máquina extraviada”, procurando cada participante atentar para algumas peculiaridades do escritor e para procedimentos de introdução do elemento estranho/insólito.

 

A discussão sempre muito rica com impressões de matizes diversos, algumas já incorporando observações críticas de José Paulo Paes, acabou por se alongar de maneira bastante produtiva a ponto de deixar apenas um curto espaço para algumas considerações técnicas a composição.

 

Outro instante de destaque do encontro foi a leitura do conto Substância, de Solange Arruda, que serviu de modelo para se exemplificar alguns procedimentos da narração (as noções de “cena” e “sumário narrativo”) que a participante intuitivamente utilizou em sua produção. Além dessas noções que dizem respeito à construção de passagem temporal e condensação de atenção ou tensão sobre determinado momento da história, foram reforçadas as noções de tipos de discurso (direto, indireto, indireto livre), assim como as de foco narrativo.

 

Ao comentar alguns contos que os participantes já haviam enviado, o mediador aproveitou para tratar, de maneira panorâmica, da estrutura do conto à luz de algumas considerações de Edgar A. Poe em sua Filosofia da Composição.

 

 Como não foi possível tratar de maneira mais direta o texto do Paes, os comentários sobre ele ficaram para o nosso recomeço no quarto encontro: “Lutar com palavras/ é a luta mais vã./ Entanto lutamos/ mal chega a manhã".

 

Nedilson César

Exibições: 17

Tags: contos, escrevivendo, escrita, fantáticos, leitura, oficina

Comentar

Você precisa ser um membro de Projeto Escrevivendo para adicionar comentários!

Entrar em Projeto Escrevivendo

© 2021   Criado por Karen Kipnis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço