Projeto Escrevivendo

A oficina do Projeto Escrevivendo: Poesia, no seu quarto encontro, declara, oficialmente, que todos os participantes são da turma do fundão. Deram uma trabalheira que me deixou até sem voz, não foi? E depois vieram dizer que era porque a oficina estava muito boa, que a discussão pegava fogo... Mas bem sei que foi tudo porque eu impus algum silêncio.

Porque, neste encontro, nos propusemos a ler as produções dos escreviventes, nascidas a partir das centelhas de João Cabral e do inventário poético dos colegas. Mas, para dar conta da tarefa, fizemos uma rodada de comentários mais amena, em que apenas o colega citado no texto podia expressar, em voz alta, as suas impressões. Sei que vezenquando é uma violência este processo: querer falar e não poder. Mas, não só temos uma limitação de tempo, como devemos aprender a estender as “políticas da amizade” para fora das paredes da oficina. E no mais, acho mesmo que silêncio é necessário, para entender o mundo. Um silêncio circunstancial, é claro, que não significa o calar-se diante o que nos toca, mas o conter as ansiedades e aprender esta difícil tarefa que é o ruminar.

.

Conseguimos, com isso, ler todos os textos que estavam prontos. E foram muitos, e surpreendentes. Alguns, provocativos, subversivos com o universo do Outro; outros mais “respeitosos”, mais preocupados em adentrar esse universo poético e ser-lhe fiel. Todos, cheios de belezas, escondidas e escancaradas. Durante a semana, eles serão postados aqui!

.

Mas acho que todos aprendemos, com este último encontro, o que significa escrever e viver junto. Já disse em um depoimento antigo sobre o Escrevivendo que este era, para mim, o maior legado do projeto: o aprender a viver junto. Tivemos uma amostra de como construímos uma poética a partir do outro – poética que não seria possível no sozinho. Seja porque herdamos do outro os temas sobre os quais iremos nos debruçar e lutar para construir o texto, ou seja porque o olhar do outro nos presenteia com o nosso melhor e o nosso pior – e porque não dizer, com o nosso desconhecido – permitindo que revisitemos a nossa escrita e o nosso estar no mundo. O que experienciamos, neste encontro, foi um amadurecimento brutal em algumas experiências de escrita, advindo do diálogo, da conseqüência que o diálogo traz. Experimentamos, também, este espelho, retorcido, refletido, do avesso, que é o olhar do outro sobre a nossa poética.

.

No dia 19, mais encontros.

Até...

Exibições: 23

Comentar

Você precisa ser um membro de Projeto Escrevivendo para adicionar comentários!

Entrar em Projeto Escrevivendo

Comentário de Fabiana Turci em 18 junho 2010 às 2:44
oi Leandro,
este módulo do Escrevivendo está indo para o quinto de seis encontros. Portanto, não é mais possível acompanhá-lo.
Mas fique atento que em breve terá outro módulo, com uma nova proposta. É preciso fazer inscrição sim e, na Casa das Rosas, a taxa é de apenas R$10,00. Como as vagas são limitadas, esgotam rapidamente.
Mas você ficará sabendo por aqui da inscrição para o próximo módulo, ok?

um beijo,
f.

© 2020   Criado por Karen Kipnis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço