Projeto Escrevivendo

Monstros momentâneos

 

Tudo se passou em um lugar desconhecido para mim, mas muito bem conhecido pelo o livro que estou lendo no momento.

Eu estou em um prédio pequeno que, dentro, mais parece um sótão, completamente estreito. Não estou só, meu irmão e algumas amigas me acompanham numa conversa até que divertida. Meu irmão começa a contar uma história de alguns monstros que ele tinha visto no lugar; eu e as meninas, com medo, estamos com os olhos fitados e paralisados em cima dele. O lugar onde estamos de repente virou um espécie de laboratório, com uma daquelas mesas que o  Frankenstein foi criado. Não esperávamos que nada acontecesse, mas olhamos para trás da tal mesa e ali avistamos um monstro. Estamos entrando em verdadeiro desespero, pois já não é mais um único mostro, eles começam a se multiplicar. Começaram a surgir pedaços de madeira em nossas mãos, e a cada paulada que damos neles, desapareciam. Mas começaram a surgir mais e mais. Até que escapamos pela porta estreita da saída. Estamos correndo por uma rua, onde cabe apenas um carro de cada vez. Corremos tanto, que cansamos, já não estamos com as madeiras em mãos. Paramos, sem fôlego, puxamos o ar como se tivéssemos corrido uma maratona. Não havia nada a ser feito, então, sentamos na calçada. Olhando cada um para o rosto do outro, não tínhamos nada a fazer a não ser esperar.

Passado um tempo, bem curto, levantamos e começamos a andar em direção ao pequeno prédio. Eu, me perguntando o porquê de estarmos voltando para o local do acontecimento. Mas não me detenho, apenas ando. Paramos em frente à porta, sentamos nos degraus e quando abríamos a porta, lá se encontravam. Aliviados, continuamos conversando e dando risadas espalhafatosas como se nada tivesse acontecido.

 

 

Sonhado

Sonho com a vida

ela sonha comigo

pensamentos de outros

imaginações alheias

sei que pareço sentir

sinto agir

sendo eu na vida

ou eu em sonho

tenho sensações preenchidas

emoções seguidas e devaneios.

Em alto relevo

relevo miudezas

com palavras voando

me vejo pelos cantos

nos sonhos vividos

ou nos sonhos de amigos.

 

 

Quando sonhamos

Em cada sonho

um pedaço de nós

novos lugares

novos objetos

uma vida em construção

reflexo ao contrário

que nos liberta

um ar de novas ideias.

Sonhamos acordados

acordamos sonhando

concretizando desejos

imaginando sabores.

Sonhos ou pesadelos

um ser formado de marés

barcos e velas

nadar no infinito

perfeitamente completo

um fim discreto:

a morte de alento!

 

 

 

Exibições: 43

Tags: escrevivendo, escrita, leitura, oficina, sonhos

Comentar

Você precisa ser um membro de Projeto Escrevivendo para adicionar comentários!

Entrar em Projeto Escrevivendo

© 2021   Criado por Karen Kipnis.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço